Meu Jesus um beberrão e fabricante de bebidas alcoólicas ?!

Lucas 7:34 "Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!"

"Vinho" ("oinos") referia-se, no NT a todos os tipos de vinho, tanto o não fermentado, como o fermentado. A declaração de Jesus indica que Ele bebia algum tipo de vinho, ao passo que João não bebia nenhum (v.33). Não se pode, porém, determinar por meio deste texto que tipo de vinho Ele bebia, uma vez que a acusação dos fariseus a respeito do caráter de Jesus é totalmente falsa. Acusam Jesus de ser um comilão e beberrão, ou de beber com os pecadores, mas eram mentiras difamatórias e costumeiras, com o propósito de destruir a sua influência como mestre da justiça (Mt 12.24; Jo 7.20; 8.48). O próprio Jesus disse que quem come e bebe com os ébrios é um mau servo (Mt 24.48,49). Logo, não se pode provar, de modo nenhum, à base deste texto, que Jesus bebia vinho embriagante.

João 2.10: "e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora."
Em contraste com a posição exposta a seguir, alguns acreditam que, tanto o vinho fornecido neste casamento como o vinho feito por Jesus, eram embriagantes se consumidos em grande quantidade. Se aceita esta tese, as implicações disto, dadas a seguir, devem ser reconhecidas e também aceitas:

(1) Primeiro, os convidados do casamento provavelmente estariam bêbados.
(2) Segundo, Maria, mãe de Jesus, estaria lastimando a falta de bebida embriagante e estaria pedindo que Jesus fornecesse aos convidados, já embriagados, mais vinho fermentado.
(3) Terceiro, Jesus estaria produzindo, a fim de atender à vontade de sua mãe (v.3), de 600 a 900 litros de vinho embriagante (vv. 6-9) mais do que suficiente para manter todos os convidados totalmente bêbados.
(4) Quarto, Jesus estaria produzindo esse vinho embriagante como seu primeiríssimo "milagre" a fim de manifestar "a sua glória" (v.11) e de levar as pessoas a crerem nEle como Filho justo e santo de Deus. Não é possível evitar as implicações supras da tese em questão. Alegar que Jesus produziu e usou vinho alcoólico, não somente ultrapassa os limites das normas exegéticas, como também nos leva a um conflito com os princípios morais embutidos no contexto geral do ensino da Escritura. Fica claro que, à luz da natureza de Deus, da justiça de Cristo, da sua amorável solicitude pela humanidade, do bom caráter de Maria, as implicações da posição de que o vinho de Caná estava fermentado são contraditórias.

Não se pode adotar uma interpretação que envolva tais afirmações e contradições. A única explicação plausível e crível é que o vinho produzido por Jesus, a fim de manifestar a sua glória, era o suco puro e não embriagante da uva. Além disso, "o (vinho) inferior", inicialmente fornecido pela pessoa encarregada das bodas, também com toda probalidade não era inebriante.
"...o bom vinho..." De conformidade com vários escritores antigos, o vinho "bom" era o vinho mais doce, vinho este que podia ser bebido livremente e em grandes quantidades sem causar danos (i.e., vinho cujo conteúdo de açúcar não fora destruído através da fermentação). O vinho "inferior" era aquele que fora diluído com muita água.

(1) O escritor romano Plínio afirma expressamente que o "bom vinho", chamado sapa, não era fermentado. Sapa era suco de uva fervido até diminuir um terço do seu volume a fim de aumentar seu sabor doce (IV. 13). Ele escreve noutro trecho que "os vinhos são mais benéficos quando toda a sua potência é removida através do coador" (Plínio, História Natural, XIV.23-24). Plínio, Plutarco e Horácio sugerem que o melhor vinho era do tipo "inofensivo".

(2) Os documentos rabínicos afirmam que alguns rabinos recomendavam o vinho fervido. O Mishna dos judeus diz: O rabino Yehuda permite-o (o vinho fervido como oferta alçada), porque a fervura o melhora".

(3) É notável que o adjetivo grego traduzido "bom" (v.10), não seja agathos, mas kalos, que significa "moralmente excelente ou apropriado".
"...beberam fartamente..." A expressão "beberam fartamente" provém da palavra grega methysko, que tem dois significados: (1) estar ou ficar bêbado, e (2) estar farto ou satisfeito (sem referência à embriaguez). Aqui devemos entender methysko como o segundo destes dois significados. (a) Seja como for traduzido este texto, ele não pode ser usado em defesa da tese de que nessa festa de casamento foi bebido vinho fermentado. Neste texto, o mestre-sala simplesmente cita um princípio geral, próprio de qualquer festa de casamento, sem considerar o tipo de bebida que foi então servido. (b) Não devemos, de modo algum, dar a entender que Jesus participou de uma festa de bebedeiras, nem que contribuiu para isso.
pastor.sandro@terra.com.br ou roisandro@yahoo.com.br
Enviado por: Anônimo

7 comentários:

Ivair Dorneles disse...

Eu creio que Jesus, como homem era muito sábio e descente, e como Deus filho buscou ser sempre um referencial a ser seguido, no entanto quando começava a falar as pessoas nao cansava de ouvir Ele ensinar pois suas palavras tinham principios de formar e conduzir a uma boa postura social como ser humano, que é completamente distinto de uma pessoa dada a embriagues. Jesus é um grande exemplo e salvaçao, mas que pena que alguns mesmo de dentro da igreja buscam apoiar o seu desgraçado vicio da bebedeira na interpretaçao erronea da Santa Escritura o Livro mais vendido e lido em todo o Mundo como ensinamento moral e espiritual.

Francisco disse...

Paz do Senhor!
Aceitei o Senhor como meu Salvador desde 1990 e temo a Deus, por isso tomei a liberdade para escrever.

Mais importante que os simbolos da Santa Ceia é a comunhão com os irmãos e com Deus, mas os simbolos também são importantes.
Deve-se temer a Deus o suficiente para não induzir em erro os irmãos e muito menos distorcer a palavra de Deus.

Note os seguintes versículos:

porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça,
e paz, e alegria no Espírito Santo. (Romanos 14:17)

Ninguém vos domine a seu bel-prazer… (Colossenses 2:18)

3 proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade,
a fim de usarem deles com ações de graças;
4 porque toda criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças,
5 porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada. (1 Timoteo 4)

o que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o
que sai da boca, isso é o que contamina o homem. (Mateus 15:11)

Lucas 7:34 "Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!":
Sim, Jesus era uma pessoa normal que comia, e bebia normalmente com o povo. Já naquela altura havia os Santarrões que pensavam que por estarem privados de vinho eram mais santos que Jesus. Hoje não acontece o mesmo?

No inicio de Abril, quando Jesus tomou a Santa Ceia, não havia sumo de uva.
Em Israel a apanha da uva é só em Junho-Julho.
Da mesma forma na bodas da Canaã não podia haver sumo de uva, pois foi antes da festa da Páscoa.

Uma “pequena nota”:
EM ISRAEL ERA IMPOSSIVEL HAVER SUMO DE UVA EM ABRIL!

Será que se pode “ultrapassar” esta situação criando teorias e lançando opiniões próprias aos irmãos? Não têm os líderes a maior responsabilidade de ministrar a pura palavra de Deus?





Notas importantes:
Os símbolos da Santa Ceia devem ser sem fermento (pois simboliza o pecado)
As uvas contêm naturalmente um agente levedante e que este está presente no suco.
O Vinho fermentado não tem fermento:
O fermento é consumido no processo de fermentação, de modo que o produto acabado (o vinho) não contém nenhum."

O comentário. ” quando já beberam fartamente” não foi feito com referência a essa festa matrimonial em particular, mas à prática geral entre os que promoviam festas: “Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior . . “. (João 2:10)
A Bíblia não relata alguém que se tenha embebedado, mas ainda que tal tenha acontecido, seria Jesus o culpado?

No novo testamento são inúmeras as advertências para o excesso de vinho, se não fosse consumido não fazia sentido estas advertências.


Era absolutamente comum o vinho nos casamentos (quando digo vinho não estou a referir-me a sumo). Digo mais: seria um escândalo, uma afronta, um embaraço para os convidados o casamento sem vinho. Não foi por isso que Jesus fez o milagre?

Os casamentos duravam uma semana, não se sabe quantos convidados eram, também Jesus quando multiplicou os peixes e pães não sobraram muitos cestos? Atendendo a isto, acha muito 900 litros?

Não há registo de provedores de sumo de uva, apenas de vinho, precisamente para ver a qualidade.
Só faz sentido pensar na qualidade em produtos com as mesmas características. Por exemplo, é um absurdo dizer que uma água tem mais qualidade do que um vinho: simplesmente não posso fazer estas comparações.

Vinho fervido deixa de ter as qualidades de vinho. Não conheço ninguém que beba vinho e goste de o ferver. Conhece alguém? No entanto, o provedor disse que tinha boa qualidade.

Diz que: “(1) O escritor romano Plínio…”
Todo judeu sabe que a Ceia Pascoal deve ser celebrada bebendo-se vinho genuíno e não suco de uva ... Achareis tudo isto completamente corroborado se consultardes a Encyclopedia Judaica, que é a mais fidedigna e autorizada em todos os assuntos judaicos.
(Embora o vinho não seja um símbolo da festa da Páscoa os Judeus acompanham a refeição com vinho e não sumo)


Para muita gente beber vinho é a mesma coisa que ficar bêbado: “(b) Não devemos, de modo algum, dar a entender que Jesus participou de uma festa de bebedeiras, nem que contribuiu para isso.”. Também a Jesus chamavam de Beberrão.


Repito: Não era possível o sumo de uva neste casamento, e o mestre sala ficou admirado com a qualidade e não com o tipo (pois era do mesmo tipo de vinho).

Anônimo disse...

Notar os seguintes versículos:

porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça,
e paz, e alegria no Espírito Santo. (Romanos 14:17)

Ninguém vos domine a seu bel-prazer… (Colossenses 2:18)

3 proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade,
a fim de usarem deles com ações de graças;
4 porque toda criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças,
5 porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada. (1 Timoteo 4)

o que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o
que sai da boca, isso é o que contamina o homem. (Mateus 15:11)

Lucas 7:34 "Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!":

Sim, Jesus era uma pessoa normal que comia, e bebia normalmente com o povo. Já naquela altura havia os Santarrões que pensavam que por estarem privados de vinho eram mais santos que Jesus. Hoje não acontece o mesmo?

No inicio de Abril, quando Jesus tomou a Santa Ceia, não havia sumo de uva.
Em Israel a apanha da uva é só em Junho-Julho.
Da mesma forma na bodas da Canaã não podia haver sumo de uva, pois foi antes da festa da Páscoa.
Não havia maneira de conservar o sumo de uva ou o mosto não fermentado num pais quente…
De notar que o que o mestre sala provou era vinho ("oinos")…

EM ISRAEL ERA IMPOSSIVEL HAVER SUMO DE UVA EM ABRIL!

Será que se pode “ultrapassar” esta situação criando teorias e lançando opiniões próprias? Não têm os líderes a maior responsabilidade de ministrar a pura palavra de Deus?





Notas importantes:
Os símbolos da Santa Ceia devem ser sem fermento (pois simboliza o pecado)
As uvas contêm naturalmente um agente levedante e que este está presente no suco.
O Vinho fermentado não tem fermento:
O fermento é consumido no processo de fermentação, de modo que o produto acabado (o vinho) não contém nenhum."

O comentário. ” quando já beberam fartamente” não foi feito com referência a essa festa matrimonial em particular, mas à prática geral entre os que promoviam festas: “Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior . . “. (João 2:10)
A Bíblia não relata alguém que se tenha embebedado, mas ainda que tal tenha acontecido, seria Jesus o culpado?

No novo testamento são inúmeras as advertências para o excesso de vinho, se não fosse consumido não fazia sentido estas advertências.

Era absolutamente comum o vinho nos casamentos (quando digo vinho não estou a referir-me a sumo). Digo mais: seria um escândalo, uma afronta, um embaraço para os convidados o casamento sem vinho. Hoje é diferente? Não foi por isso que Jesus fez o milagre?

Os casamentos duravam uma semana, não se sabe quantos convidados eram, também Jesus quando multiplicou os peixes e pães não sobraram muitos cestos? Atendendo a isto, acha muito 900 litros?

Não há registo de provedores de sumo de uva, apenas de vinho, precisamente para ver a qualidade.
Só faz sentido pensar na qualidade em produtos com as mesmas características. Por exemplo, é um absurdo dizer que uma água tem mais qualidade do que um vinho: simplesmente não posso fazer estas comparações.

Vinho fervido deixa de ter as qualidades de vinho. Não conheço ninguém que beba vinho e goste de o ferver. Conhece alguém? No entanto, o provedor disse que tinha boa qualidade.

Diz que: “(1) O escritor romano Plínio…”
Todo judeu sabe que a Ceia Pascoal deve ser celebrada bebendo-se vinho genuíno e não suco de uva ... Achareis tudo isto completamente corroborado se consultardes a Encyclopedia Judaica, que é a mais fidedigna e autorizada em todos os assuntos judaicos.
(Embora o vinho não seja um símbolo da festa da Páscoa os Judeus acompanham a refeição com vinho e não sumo)

Para muita gente beber vinho é a mesma coisa que ficar bêbado: “(b) Não devemos, de modo algum, dar a entender que Jesus participou de uma festa de bebedeiras, nem que contribuiu para isso.”. Também a Jesus chamavam de Beberrão.


Repito: Não era possível o sumo de uva neste casamento, e o mestre sala ficou admirado com a qualidade e não com o tipo (pois era do mesmo tipo de vinho).


Francisco Sanches

JUNIOR OMNI disse...


_________________________________


- O vinho embriagador era usado na santa ceia, na igreja de corinto, sendo Paulo - o apóstolo, o fundador desta igreja. O pecado está na "EMBRIAGUEZ" não no uso do vinho com moderação.

- Comer demais faz mal à saúde, e é pecado também (glutonaria).

- Muitos pastores tentam negar que o vinho que Jesus bebia era "embriagante”. Porém, Jesus não se embriagava, para não trazer escândalos.

- A MODERAÇÃO e o AUTOCONTROLE sempre serão de responsabilidade de cada cristão, bem como o uso do "LIVRE-ARBÍTRIO" - o que até os anjos tem da parte de Deus. Satanás e os anjos perversos usaram a LIVRE ESCOLHA para se rebelar contra Deus.

- O pecado está no "EXAGERO". Pois o próprio Deus permitiu ao seu povo Judeu, a plantação de uvas, para fabricar o vinho com elas. Porque Deus permitiria A PLANTAÇÃO DE UVAS, se Ele mesmo não aprovasse o consumo de vinho, quer seja fermentado ou não?

- Isso seria uma contradição do próprio Deus. E sabemos que Deus não é contraditório, pois Ele não é Deus de confusão. O que Deus abomina é a embriaguez. E isso, Ele deixou claro em Sua Palavra.

- Quem bebe e não se embriaga é uma pessoa sábia! Pois não dá escândalos quando consome o vinho.

- Em corinto, na Grécia, durante a SANTA CEIA, alguns irmãos bebiam tanto vinho que se embriagavam. Porém, o apóstolo Paulo sempre repreendeu esta CONDUTA DESENFREADA DENTRO DA IGREJA.

“...Porque, comendo, cada um toma antecipadamente a sua própria ceia; e assim um têm fome e outro EMBRIAGA-SE...” – 1 Coríntios 11:21

MAS, será que Paulo, o apóstolo, trazia de sua casa, um SUCO DE UVA ESPECIAL, sem álcool? Só para ele beber? Um vinho que não embriagava?

É claro que não! O apóstolo Paulo bebia o mesmo vinho que embriagava, porém sabia se controlar, pois tinha os 9 (nove dons do Espírito Santo)


Mais uma vez repito: não é o vinho pecado, E SIM, a embriaguez!



NOÉ BEBEU VINHO DEMAIS, E FICOU BÊBADO E NU!


- O erro não estava na uva, mas na falta de controle dele, como chefe de família e responsável por "repovoar a terra" após o dilúvio.


"...E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda..." - Gênesis 9:20-21


Pela própria Bíblia está provado que:
O apóstolo Paulo bebia vinho, e não simplesmente "SUCO DE UVA"

Paulo aconselhou a Timóteo: “Não bebas mais água só, MAS USA DE UM POUCO DE VINHO, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades.

- 1 Timóteo 5:23



Jesus bebia vinho com pecadores e prostitutas, e o chamaram de BEBERRÃO DE VINHO.

- Porquanto veio João, não comendo (CARNE) nem bebendo (VINHO), e dizem: Tem demônio. Veio o Filho do homem, comendo e BEBENDO VINHO, e dizem: Eis aí um homem comilão e BEBERRÃO DE VINHO, amigo dos publicanos e pecadores.


Mateus 11:18






renata juliana Gonçalves disse...

Tem sim meu amigo me desculpe viu, há relatos de homens bêbados na bíblia..... Eu mesmo não sou estudiosa da bíblia e sei só de dois relatos, o primeiro foi Noé que ficou embriagado e ainda ficou nu e quem o viu nu e amaldiçoou. O segundo que eu sei foi Pedro ele estava embriagado e nu dormindo no barco quando Jesus chegou ele se cobriu e pulou no mar.....está escrito em João cap21 versão 07. Leiam a bíblia, não deixem alguém ler pra VC. Renata Juliana.

renata juliana Gonçalves disse...

Tem sim meu amigo me desculpe viu, há relatos de homens bêbados na bíblia..... Eu mesmo não sou estudiosa da bíblia e sei só de dois relatos, o primeiro foi Noé que ficou embriagado e ainda ficou nu e quem o viu nu e amaldiçoou. O segundo que eu sei foi Pedro ele estava embriagado e nu dormindo no barco quando Jesus chegou ele se cobriu e pulou no mar.....está escrito em João cap21 versão 07. Leiam a bíblia, não deixem alguém ler pra VC. Renata Juliana.

Andrea Bessa disse...

Não consigo acrescentar nada mais. Perfeita análise!
Que tenhamos uma visão mais profunda e reformada das Escrituras!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...