Estudando 1 Reis 13 - Deus e o Homem de Deus


Começo aqui um estudo simples sobre I Reis 13, seu contexto histórico e lições que podemos extrair para nossas vidas. É interessante observar que esse trecho bíblico tem um foco voltado ao obreiro, ou qualquer pessoa que se disponha a servir a Deus em sua obra divina e os perigos e tentações que essa mesma obra divina nos proporciona.

Contexto Histórico

Estamos em cerca de 931 AC. Salomão está morto e o vulcão adormecido em meados da época de Davi e durante todo o reinado de Salomão voltara a despertar. As tribos do norte (dez tribos de Israel) e as tribos do sul (Judá e Benjamim) despertaram todo o atrito entre si de outrora e o jovem rei Roboão, filho de Salomão, precisou ser coroado fora de Jerusalém, na cidade de Siquém, procurando a aceitação de todos e não só de Judá. E a situação era tão instável que a coroação de Roboão se tornou uma negociação com Jeroboão, porta-voz das dez tribos de Israel (IRe 12:1-4). Roboão não atendeu aos pedidos de Israel e viu uma rebelião contra o seu reinado; Israel estava dividida, Jeroboão reinou sobre as 10 tribos do norte e Roboão precisou se contentar com a cidade de Jerusalém, mais as tribos de Judá e Benjamim ao sul (IRe 12:16,17). A glória dos dias de Davi e Salomão havia se tornado em vergonha e rancor entre o próprio povo escolhido por Deus.
Jeroboão, agora rei de Israel, visando evitar que seu povo descesse a Jerusalém para adorar ao Deus de Davi, decidiu levantar seus próprios altares de adoração e suas próprias festas religiosas que coincidissem, de preferência, com as festas religiosas de Judá. O medo era simples: se o povo descesse a Jerusalém para adorar a Deus, talvez eles voltassem a desejar a unificação novamente e isso seria extremamente danoso a Jeroboão. E para evitar esse problema ele fez dois bezerros de ouro e os pôs em dois altares de adoração; um em Dã, outro em Betel. Israel, mais uma vez, se voltava à idolatria e Jeroboão se tornou exemplo de rei cruel e idólatra; tão ruim que a partir desse momento todo o rei que não seguisse ao Senhor seria comparado a Jeroboão. Nesse momento nós estamos em algo em torno de 920 AC e é nesse ponto que chegamos a I Reis 13.
O homem de Deus e o rei
(IRe 13:1-10) Em meio a esse tumultuo e crise religiosa, Deus manda um homem de Judá a Betel, um dos centros religiosos de Israel, falar diretamente com o rei. O homem fez uma viagem de, no mínimo, 100km (levando em conta a distância entre Jerusalém e Betel) e ousou clamar contra o altar idólatra em frente ao rei. Ele profetizou que nasceria um homem chamado Josias da casa de Davi que acabaria com os altares e seus sacerdotes e, como sinal, que o altar se fenderia naquele mesmo dia. O rei, enfurecido com aquele profeta que, além de clamar contra ele ainda era de Judá, estendeu sua mão contra o profeta e ordenou sua prisão. Naquele momento seu braço se endurece a ponto de não conseguir recolhe-la e o altar se fende, derramando toda a cinza dos sacrifícios lá oferecidos. Jeroboão, amendrotado implora ao profeta para que orasse a seu Deus pedindo pelo rei. O profeta ora ao Senhor e Jeroboão tem seu braço restabelecido.
Frente a tamanha demonstração de poder divino, o rei oferece ao profeta sua casa para repouso e recompensas. O profeta, seguindo ordem divina de de não aceitar nem comida em Betel e, tão pouco, voltar pelo mesmo caminho por onde foi a Betel, nega qualquer recompensa ou oferta de Jeroboão; o Senhor havia ordenado não aceitar, então ele não aceitaria. Ainda que o rei oferecesse metade de sua casa, o profeta não aceitaria. O homem de Deus se retirou e não voltou pelo caminho por onde fora a Betel.

Lições que permanecem vivas

Três lições básicas, voltadas especialmente a quem pretende atuar servindo a Deus, podem ser retiradas somente desse pequeno trecho estudado hoje:

Deus não abandona a quem O serve - é interessante observar que o Senhor não abandona àquele que levanta para O servir. Seria como um pai abandonar a um filho obediente. O Senhor não impediu que o homem de Deus passasse por uma situação difícil, mas fora para que Ele mostrasse o quão poderoso era. O Senhor livrou ao profeta e livra a nós também. Ainda que servindo a Deus, passamos por situações que muitas vezes nos fazem indagar: “teria nos abandonado o Senhor?” Mas não. Ele não é injusto. Se você O serve com desprendimento e coragem, em algum momento a mão daqueles que apontam contra ti endurecerão e o Senhor o fará luz para eles. Sirva a Deus sem medo. Ele é fiel não simplesmente a nós, porque não merecemos, mas à Sua Palavra, que nos diz que Ele não nos deixará sós.

O homem de Deus não aceita ofertas do mundo - parece um jargão muito simples essa expressão “ofertas do mundo”, mas não é. E nesse caso do profeta demonstra que é algo muito além; Deus manda não aceitar nada, nem pão, nem sequer água pelo seu ato em Betel. Qualquer coisa que viesse de Betel seria imundo, qualquer coisa que fosse para recompensar o episódio naquele lugar seria contra a ordem do Senhor. E hoje nós vemos o total contrário dessa máxima; existem inúmeras pessoas atuando no evangelho apenas para obter algo em troca. Seja dinheiro, seja posição social ou simplesmente um cargo de “apóstolo” ou “bispo”, todos querem algo em troca de servir a Deus. Não! A obra de Deus, digo, a verdadeira obra de Deus, tem de ser feita com desprendimento de ganhos! Não aceite facilidades, não aceite pagamentos… o profeta de I Reis 13 com certeza já trazia o seu pão e sua água de Judá para não precisar aceitar os pães oferecidos em Betel. Tenhamos também garantido o nosso pão, ganho com o suor de nosso rosto, para não precisar do pão que a igreja oferece em troca de nossas obras. Assim, dessa forma, surgirão cada vez menos interesseiros na obra de Deus.

Sejamos anônimos numa obra que só deve engrandecer a Deus - “É necessário que Ele cresça e que eu diminua” (Jo 3:30) João, nessas simples palavras, descreve o que é servir ao Senhor. Mas hoje em dia o que se vê dos “homens de Deus” é completamente diferente; eles querem crescer, aparecer no máximo possível de canais, fazendo da TV, que seria uma arma rica de evangelismo, um palco de egos e desserviço ao cristianismo. O púlpito virou palco de espetáculos porque é o nome do pregador/ pastor/ apóstolo/ bispo que tem de ter destaque. “O Cristo que me ergueu, pode muito bem te erguer tambem.” foram as palavras de um famoso pregador pentecostal em seu email, enviado a mim em dezembro do ano passado, me ameaçando de processo. “Prefiro diminuir e que Ele cresça” respondi a ele. O que acontece conosco? Por que essa necessidade de aparecer e ter seus nomes escritos em faixas de convenções? Simplesmente servir ao Senhor não basta? O homem de Deus que profetizou contra Jeroboão mal teve seu nome escrito na Bíblia, mas a sua obra está lá gravada, engrandecendo ao Senhor. Hora de desaprender esse evangelho egocêntrico e reconstruir o evangelho em nós mesmos. Um evangelho que traz um cristianismo verdadeiro de altruísmo, desprendimento, misericórdia e perdão. Sejamos obreiros anônimos na obra do Senhor, mas que o fruto de nossas mãos rendam para a honra e glória dEle!
Mas esse capítulo traz muito mais advertências sérias aos homens de Deus. Continua na segunda parte desse estudo. Até lá.

janeiro 24th, 2009 by René Vasconcelos

Referências:“História de Israel” - Eugene H. Merrill (recomendadíssimo)Bíblia Shedd (and notes)

17 comentários:

A CURA disse...

A paz do senhor amado ministrei 1 Reis 13 (pois foi a plavra que o senhor me deu pra a festividade ) e foi muito edificandte o seu comentarios,que o senhor continue nos usando ,mesmo que seja no anonimato pois ELE é quem tem que aparecer e foi maravilhoso a explanaçao do irmao ,bençao do SENHOR sobre ti a paz

Anônimo disse...

Só um adendo...porque nao continuou o estudo até que o profeta tenha sido morto por desobediência. . .É tudo muito bonito até onde o senhor foi...me parece que esta com medo de dizer que o profeta desobeceu e comeu e bebeu em Betel e morreu por isso. . .enganado sim...porém quem anda em comunhão verdadeira com Deus não é enganado assim como eu nesse estudo pela metade. . .meu email topo.agro@bol.com.br se achar que pode me explicar isso estou esperando. . .eu só quero saber pq mão foi até o fim da história do capitulo 13.grato
Jose...

Anônimo disse...

Gostaria muito de saber sobre 1reis 13,11 em diante esse profeta q enganou o homem d Deus quem e

Anônimo disse...

PQ SAIU DO ASSUNTO ESTAVA FICANDO ÓTIMO.

Anônimo disse...

Tbm gostaria mt de saber 1Reis 13 ,11 ..
Tenho mtuitas duvidas!

Everton Farias disse...

Talvez seja porque o assunto o qual ele se refere não necessita ir além se não entraria em outra visão ou estudo

Everton Farias disse...

A

Everton Farias disse...

Talvez se ele comentasse o resto fugiria da visão de idolatria e interesses próprios e partiria para desobediência à Deus e este n é o assunto abordado a paz do Senhor a todos

Everton Farias disse...

Talvez se ele comentasse o resto fugiria da visão de idolatria e interesses próprios e partiria para desobediência à Deus e este n é o assunto abordado a paz do Senhor a todos

Eugenio Bueno disse...

Adão foi criado à imagem e semelhança de Deus, entretanto sucumbiu ao primeiro desafio.
Obviamente aquele homem que fora a Betel era obediente e cumpriu tudo quanto lhe fora dito.
Certamente era homem de Deus, tanto que orou e o braço do Rei foi restabelecido.
Assim como satanás enganou Eva a qual levou consigo Adão, como humanos somos propensos ao erro e aquele homem foi enganado por um profeta velho que certamente foi usado pelo Pai da mentira.
Dai faço a seguinte pergunta:
Se fosse vc que tivesse caminhado cerca de 100km, passando provações como sede, fome, necessidades fisiológicas, cansaço e sujeito a todo tipo de adversidade e ouvisse alguém dizer enfaticamente que Deus houvera mudado de plano (considere sua natureza frágil, pecaminosa e humana... Passível de erros), não estaria predisposto a acatar?
Ele certamente cometeu um erro porque:
É homem
É falho
Não vigiou
Não teve discernimento
Moises não entrou na Terra prometida por causa de alguns erros cometidos.
Isto posto, justifica a fragilidade de um homem, mas sei que a indagação certamente é sobre o fato de Deus ter deixado ele morrer e ainda usou o profeta velho para o sentenciar.
1. Quem pode entender os desígnios de Deus?
2. O homem pode ter morrido, mas não se pode afirmar que tenha perdido sua salvação. Observe que o proprio profeta velho o sepultou e o reconheceu como sendo de Deus.
3. Deus é Onipotente, onisciente e onipresente, logo tem autoridade para dar e interromper a vida de quem quer que seja sem o ônus de que este venha a perecer no inferno. (Vide Elias, Enoque, Estevam, Pedro, etc.).
4. À morte naquela circunstância pode ter representado lucro e uma interrupção abrupta e imerecida aos nossos olhos, porém dentro da expectativa salvadora de Deus.
5. Deus pode ter deixado isso acontecer para nos servir de lição dentro de um contexto de que devemos agir com sabedoria, diligência e buscar sempre o entendimento e o discernimento de Suas coisas.
6. Duvidar da benignidade de Deus e colocar em cheque Seus atributos, constitui pecado, falta de sabedoria e denota além de desconhecimento, a falta de temor, sujeição e a negação de Sua divindade.
7. Vamos nos unir em amor e pedir a Deus a revelação das grandes coisas que Ele confere aos humildes.
Em resumo Deus é Deus. Nós somos sua criação e Ele disse que nossa sabedoria para Ele é loucura e que Seus pensamentos, mais altos/elevados que os nossos.
Aprendamos a ser servos Dele tendo n'Ele o temor que é o princípio da sabedoria.
Em Oseias 6:3 somos concitados a conhecermos e prosseguirmos no conhecimento de Deus e isto seguramente só será possível se andarmos com Ele como amigos e sistematicamente em todos os momentos de nossa vida...
É mister ter intimidade com Deus para que se consiga entendê-lo e ter uma proximidade com a estatura de um varao perfeito.
Louvado seja DEUS!!!
Eugenio Bueno
ebuenno@yahoo.com.br

Eugenio Bueno disse...

Caro amigo.
Tentei responder. Leia

Eugenio Bueno disse...

Éverton. A paz!
Escrevi algo a respeito. Leia por favor!

Unknown disse...

Me responda uma coisa qual dos profetas morreram o q protizou contra o altar do rei? Ou o profeta velho q metiu?

Verluce Ventura disse...

Me responda uma coisa qual dos profetas morreram o q protizou contra o altar do rei? Ou o profeta velho q metiu?

Unknown disse...

O homem de Deus que morreu, pois depois o profeta velho o enganou e o fez voltar.

Vagner Cassimiro disse...

O homem de Deus que morreu, pois depois o profeta velho o enganou e o fez voltar.

Anônimo disse...

O que profetizou contra que morreu

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...